Saúde Mental

Muitas pessoas ao ouvirem falar em Saúde Mental logo a associam a tratamentos (médicos e psicológicos) para pessoas que estão com “doenças mentais, mas, ter saúde mental vai além de não estar doente e, portanto, não diz respeito apenas às pessoas afetadas por transtornos psicológicos ou deficiências”. Está relacionada ao bem-estar, sendo necessário desconstruir a cultura de que só devemos prestar atenção à saúde mental em casos mais graves.

A saúde mental é determinada por uma série de fatores socioeconômicos, biológicos e ambientais, sendo necessárias estratégias e intervenções envolvendo diversos setores da sociedade, existem para promover, proteger e restaurar a saúde mental.

A OMS também lembra que “saúde mental e bem-estar são fundamentais para nossa capacidade coletiva e individual, como seres humanos, para pensar, nos emocionar, interagir uns com os outros e ganhar e aproveitar a vida”. Uma boa saúde mental permite que uma pessoa faça uso de suas habilidades de maneira produtiva e também recuperar-se do estresse do dia a dia.

O ambiente universitário pode ser prazeroso, satisfatório, de fomento do conhecimento, de descobertas, de trocas, de valorização da cultura, da arte, da criação. Um espaço de construção de inúmeras relações boas, duradouras, mas, ao mesmo tempo, essa experiência também pode conter algumas facetas complicadas e que podem gerar sofrimentos.

A entrada na universidade pode representar uma grande conquista para os jovens e simboliza um ritual de passagem para a vida adulta, com mais liberdade e autonomia; ao mesmo tempo, surgem as responsabilidades e exigências inerentes ao viver longe da rede originária de apoio e fazer um curso de graduação ou pós-graduação. Muitas vezes, isso significa morar com outros estudantes, o que provoca uma experiência de convivência com o “outro”, que pode gerar conflitos de relacionamento; também exige que o calouro assuma compromissos referentes às tarefas próprias de um lar, incluindo as responsabilidades financeiras.

O espaço universitário afeta, frequentemente, tanto trabalhadores quanto estudantes que sofrem pela alta exigência por produtividade e resultados acadêmicos, que podem ser disparadores de processos de sofrimento.

Reconhecendo que a Saúde Mental compreende múltiplos e diversos fatores, a ProACE vem desencadeando diversas ações envolvendo seus diversos Departamento nos quatro campi, visando a oferta de ações de promoção, prevenção e recuperação da saúde mental.

Salienta-se que as ações desenvolvidas no âmbito da UFSCar acontecem de maneira complementar aos serviços de saúde, esportes, cultura e assistência social que são ofertados pelos municípios onde os campi estão instalados, devendo-se, desta forma, ser buscado o trabalho articulado, para que haja a continuidade de cuidados aos membros da comunidade universitária, uma vez que aqui são ofertados cuidados básicos.

Onde procurar ajuda: DeAS (São Carlos), DeACE-Ar, DeACE-So e SeACE-LS.

Atividades de promoção e prevenção à Saúde apoiadas pela ProACE e existentes na UFSCar:

Cartilha sobre saúde mental ProACE (no prelo): https://www.politize.com.br/saude-mental-o-que-e